O JOGO

Sem dinheiro, liga de futebol pode fechar as portas

Zázeri afirma que situação da LAF está "muito difícil"

Zázeri afirma que situação da LAF está “muito difícil”

Sem dinheiro em caixa, sem receber o repasse da lei de incentivo e sem aporte financeiro da prefeitura, a Liga Americanense de Futebol (LAF) corre riscos de fechar as portas a qualquer momento. Homem-forte da entidade, o vice-presidente José Antônio Zázeri admitiu que a situação é delicada. Ele revelou ao O JOGO que precisou dispensar um dos dois funcionários e que desocupou uma das salas alugadas em imóvel no Jardim da Colina.

“Não está nada fácil. Estamos cortando gastos e não sei até quando vamos conseguir manter a Liga em atividade”, afirmou Zázeri, que pretende ter uma conversa derradeira com o secretário de Esportes Odair Dias neste início de semana. “O Odair disse que não deixaria de apoiar a Liga, mas é preciso saber se ele terá recursos (financeiros) para isso”, salientou o vice-presidente.

Por causa da falta de dinheiro, os únicos quatro campeonatos que a LAF organizou em 2014 estão paralisados, inclusive com a possibilidade de não terem as finais, já que a empresa que venceu a licitação da arbitragem não pretende mais atuar enquanto não receber os atrasados da prefeitura.

São Thiago x Unidos da Paz, na 2ª Divisão, e Ponte Preta x São Pedro, no Senior, são decisões já definidas. Na 1ª Divisão, o Guanabara está na final, mas seu adversário pode mudar: o Canarinho classificou-se em campo, porém, o Unidos da Morada entrou com recurso pleiteando a vaga sob argumento de que o Canarinho utilizou jogadores de forma irregular.

Na 3ª Divisão, o Karatê também está garantido na decisão do título. Seu adversário sairá na última rodada, que já deveria ter sido realizada há três semanas. Para que os campeonatos conheçam seus campeões, iniciou-se movimento no sentido dos clubes pagarem a taxa de arbitragem, no entanto, segundo Zázeri, nem todos se mostraram interessados em colaborar.

Texto: Zaramelo Jr.

zaramelojr@jornalojogo.com.br