O JOGO

Rio Branco vai de protagonista a coadjuvante ameaçado

Por Zaramelo Jr.

O Jogo | 2015, 23 de março

Rio Branco, do atacante Jobinho, tenta reencontrar caminho das vitórias

Rio Branco, do atacante Jobinho, tenta reencontrar caminho das vitórias

De time protagonista, candidato ao acesso, o Rio Branco transformou-se em coadjuvante ameaçado de rebaixamento no Campeonato Paulista da Série A2. Nas seis primeiras rodadas, o time disputou 18 pontos e ganhou 13, aproveitamento de 72,2%, com vitórias sobre Velo Clube, Mirassol, Guaratinguetá e Atlético Sorocaba, e empate com o Oeste. A única derrota foi para o São Caetano.

A partir da sétima rodada, o time de Americana não somou mais nenhum ponto sequer. Perdeu para União Barbarense, Novorizontino, Ferroviária, Santo André e Independente. A queda acentuada de rendimento provocou a troca de técnico, com a saída de Fahel Junior e a contestada contratação de Carlos Octávio.

O gerente de futebol Airton Moraes, responsável direto pela vinda de Carlos Octávio, que tem pouca rodagem como técnico, disse ao jornalista Luiz Peninha, do TodoDia, que os jogadores estão abalados no aspecto emocional em razão da cobrança por vitórias. “”O que vejo são os jogadores sofrendo com a pressão psicológica devido às derrotas, não tem outra explicação. Só uma vitória vai mudar esse quadro. Precisamos de atitude dentro do campo para superar tudo isso”, afirmou o dirigente.

Em 12º lugar, o Rio Branco está 8 pontos atrás do grupo de acesso e apenas 5 à frente da zona de rebaixamento. Restam ainda oito rodadas e, numericamente, é bem menos complicado escapar do descenso do que voltar à briga para subir à elite.

Considerando-se os números dos últimos anos, para ser um dos quatro times que estarão na Série A1 em 2015, o Rio Branco precisa de mais seis vitórias e um empate; e, para afastar o risco de descenso, necessita de mais três vitórias.

Nesta terça-feira (24), o Rio Branco joga contra o Batatais, às 20 horas, em Batatais.