O JOGO

Rio Branco chega aos 101 anos como pior time da Copinha

Em Campinas, diante do RedBull, Rio Branco cai pela terceira vez na Copa

Em Campinas, diante do RedBull, Rio Branco caiu pela terceira vez na Copa

Fundado em 4 de agosto de 1913 e um dos maiores reveladores de talentos para o futebol, principalmente durante os anos 90, o Rio Branco chega aos 101 anos nesta segunda-feira. E não há motivos para comemorar. Entre os 22 participantes da Copa Paulista, o time de Americana é o pior, único a não pontuar até agora.

Na contra-mão do que exige o futebol profissional, o Rio Branco entrou na Copinha sem dinheiro, sem estrutura, sem planejamento e sem organização. O saldo não poderia ser diferente. Em três jogos, foram três derrotas: 1×2 Independente, 0×1 União Barbarebse e 3×4 RedBull Brasil.

O trabalho do técnico João Batista e dos jogadores, diante das precárias condições que são oferecidas, não pode ser avaliado de forma muito criteriosa. As perspectivas não são nada animadoras, embora as chances de classificação à 2ª fase ainda mantenham-se efetivas, muito mais pelo regulamento do que pelo futebol jogador, já que entre os sete times do grupo, cinco avançam.

O presidente Téo Feola não queria disputar a Copa Paulista, mas perdeu o braço-de-ferro com o manager Júlio César, que usou seu prestígio junto ao prefeito Diego De Nadai para, em cima da hora, colocar o Rio Branco na competição.

Logo depois, De Nadai foi cassado e o clube ficou órfão na questão financeira, já que o chefe do Executivo era o principal responsável pela captação de verbas.

Lanterna do Grupo 2, o Rio Branco volta a jogar contra a Internacional de Limeira, quarta-feira (6), às 20 horas, no Estádio Décio Vitta.

Zaramelo Jr.

O Jogo | 3 de agosto de 2014 | 20h16

* Foto: Reprodução do facebook do RedBull Brasil