O JOGO

Planeta Bola

 

TESTEIRA RENAN

- Que comece o ano de 2018! E não poderia ser diferente… Pelo menos aqui na Planeta Bola, vamos falar de futebol, afinal, é ano de Copa!

- Primeiramente, desejo aos leitores e amigos um ano glorioso, repleto de alegrias pessoais, profissionais e desportivas e, principalmente, com muita saúde, afinal o ser humano saudável é capaz de tudo, não existe sonho impossível e nem obstáculo imbatível. Tenham todos um 2018 incrível!

- Agora, voltando ao foco, hora de dar aquela boa “cornetada” no grupo dos nossos Hermanos, o bom Grupo D da Rússia’18.

Clique aqui e leia edição 703 do O Jogo

- Começo de baixo para cima, certo? Para mim, a última colocação do grupo será da Islândia. Apesar de toda a simpatia e muita aptidão tática da equipe europeia, ainda falta o que move o esporte bretão: talento! E isso é insubstituível. Mas não esperem os “bávaros” como “moscas-mortas”, muito pelo contrário, acredito que venderão suas derrotas e, por que não empates, muito caro!

- A Nigéria também não deve se classificar. Como sempre, uma seleção moldada na absurda aptidão física de seus atletas. A equipe africana não conta com uma de suas melhores gerações. Eles não têm mais um Okocha ou até um Kanu – ainda bem, hein… – mas, como sempre, os nigerianos podem aprontar das suas. Quem sabe uma marcação mais baixa, uma ou duas bolinhas no contra-ataque… “Sonhar não custa nada…”

lionel messi

- Na segunda posição, a minha aposta vai ser polêmica, mas preciso dá-la. Sim, lá estarão eles, os nossos queridos e simpáticos argentinos! De verdade, contar com Messi deveria ser o suficiente para qualquer equipe no planeta Terra ganhar tudo, mas a seleção argentina consegue ser desorganizada ao ponto de me dar condição de chutar um segundo lugar no grupo. O meu medo é a hora que o “bicho” começar a pegar, pois aí eles são feras e sabem jogar mata-mata. Olho neles!

- No primeiro lugar do grupo, o meu palpite vai para a Croácia. Por incrível que possa parecer, a seleção croata tem menos talento do que a Argentina, mas isso não significa que eles não tenham talento algum. Aliás, Modric, Rakitic e Kovacic formam uma meia-cancha de respeito, dando condições para Perisic e Pjaca, por exemplo, aprontarem das suas lá na frente. Bem organizada, no melhor estilo europeu, a Croácia é uma aposta forte para a primeira fase e assim como fez na última Copa conosco – no primeiro jogo da primeira fase – pode e dará muito trabalho nesta Copa do Mundo. Podem anotar!

- Semana que vem estou de volta ao batente. Por questões lógicas, pularei o próximo grupo e o guardarei para o final – pois ai o patriotismo pode me causar delírios de grandeza. Tenham ótimo final de semana e, novamente, um espetacular 2018!

Fraternal amplexo.