O JOGO

Omar quer instituir cobrança para corridas de rua

Americana é cidade importante no calendário das corridas de rua

Americana é cidade importante no calendário das corridas de rua

O prefeito Omar Najar enviou à Câmara, no início deste mês, projeto de lei que, resumidamente, institui a cobrança de R$ 5 por inscrição nas corridas de rua realizadas em Americana, sejam elas de curta, média ou longa distâncias. O valor arrecadado nos eventos esportivos não será revertido à Secretaria de Esportes e sim ao Fundo Social de Solidariedade, que é presidido por Mayne Najar, filha do chefe do Executivo.

Na exposição de motivos do projeto, que deve ir à votação em setembro, após passar por análise de comissões, Omar diz que as corridas “exigem o desprendimento de determinados esforços da Administração Pública”. Porém, entre os “esforços”, ele cita somente interdição de ruas e disposição de agente públicos da Guarda Municipal (Gama) para monitoramento do trânsito.

Ainda de acordo com o prefeito, “o projeto visa também regulamentar uma prática já comum entre a administração e os organizadores de tais eventos: a doação ao Fundo Social. Os promotores das corridas de rua têm realizado doações ao referido fundo informalmente.”

Na semana passada, O JOGO encaminhou à Secretaria de Governo e à assessoria de imprensa da prefeitura, via WhatsApp, alguns questionamentos a Omar Najar sobre o assunto. A Secretaria e a assessoria afirmaram que encaminhariam as respostas ao jornal até o início desta semana. No entanto, nada chegou à redação até o fechamento desta edição, na noite de ontem (22).

O JOGO entrou em contato com alguns responsáveis pela realização de corridas de rua em Americana. Eles disseram que, com a aprovação do projeto, há riscos dos eventos deixarem de ser realizados aqui e serem transferidos para cidades da região que não fazem exigências financeiras. Sobre as “doações informais” citadas por Omar, os organizadores falaram que preferem se manifestar em outra ocasião.

BROCHI É CONTRA E JUNINHO ESPERA DETALHES

O vereador Thiago Brochi manifestou-se contrário ao projeto do prefeito Omar Najar para a cobrança de R$ 5 por inscrição nas corridas de rua em Americana. “Estamos fechando as portas para o esporte. Desse jeito, as corridas vão para outras cidades”, afirmou.

“O pessoal que organiza corridas tem custo alto e assume riscos. É um projeto bem complicado, pois a prefeitura não terá responsabilidade nenhuma. Só ficará com o valor arrecadado, que deveria ir para o esporte e não para o Fundo Social, que tem que buscar verbas através de gestão da prefeitura e não em eventos esportivos”, acrescentou o parlamentar.

Brochi contou que teve uma reunião semana passada com Maine Najar, presidente do Fundo Social. “Sugeri valores conforme o número de atleta, mas a Maine descartou. Ela está irredutível nesta questão da cobrança e do repasse ao Fundo Social. Fazer gestão com dinheiro do esporte fica fácil”, desabafou. O parlamentar informou que marcou uma audiência pública para tratar do assunto no dia 10 de setembro, a partir das 19 horas, no plenário da Câmara.

Já o vereador Juninho Dias, que é presidente da Comissão de Esportes da Câmara, disse que quer saber detalhes do projeto. “Em nenhum momento, até agora, o Executivo me chamou para explicar e detalhar esse projeto e eu gostaria muito de fazer parte disso, pois, além de presidir a Comissão de Esportes, sou representante e incentivador do esporte”.

Juninho admitiu que tem receio que, em razão das cobranças, os organizadores levem as corridas para outras cidades. “As cidades vizinhas, com certeza, vão abraçar as corridas. Os atletas para irem a Santa Bárbara e Nova Odessa é coisa de minutos. Acho que vale a pena uma boa conversa com todos os envolvidos para fazer a coisa certa. Não podemos errar num momento tão delicado como esse”, salientou.

Quanto ao repasse do dinheiro arrecadado nas corridas para o Fundo Social, conforme institui o projeto de Omar, Juninho afirmou que “é claro que (o dinheiro) é para ir para o esporte, com certeza era para ir, pois estamos falando de esporte. Porém, os secretários que passaram por lá até o atual, que planejamento fizeram? Enquanto estiverem lá (na Secretaria de Esportes) fazendo politicagem, estão prejudicando Americana”.