O JOGO

Marcinho fica orgulhoso com vice da OAB Americana

Marcinho Rocha levou Americana ao vice-campeonato do Estadual

Marcinho Rocha levou Americana ao vice-campeonato do Estadual

Ex-lateral do Rio Branco e de times como Guarani e Sport Recife, Marcinho Rocha foi o técnico que levou Americana a uma conquista inédita no Estadual de Futebol da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil): o vice-campeonato de 2019. Convidado pelos amigos que fazem parte do grupo de jogadores, ele foi o comandante do time neste ano e chegou até onde nenhum outro conseguiu chegar – os americanenses perderam a final para Ribeirão Preto (0 a 1 em casa, dia 23, e 1 a 4 em Ribeirão, dia 30).

“No jogo de volta, saímos na frente e tivemos até a chance de fazer 2 a 0, o que poderia mudar a decisão, mas Ribeirão encaixou, empatou e virou o placar com méritos. Eles mereceram o título, pois foram melhores nas duas partidas finais”, disse Marcinho.

Com a mesma humildade que caracterizou sua trajetória dentro de campo, Marcinho disse ao O JOGO que “sinceramente, estou muito orgulhoso com o vice-campeonato. Muito mesmo. No começo, não tinha nenhuma perspectiva e nem fazia ideia de onde conseguiríamos chegar. Até achava que não iríamos muito longe, principalmente porque (eu) não tinha nenhuma noção sobre os adversários, nunca tinha visto eles jogarem, mas o pessoal suportou bem a pressão, o time mostrou-se unido, focado. O mérito é todo dos jogadores.”

E acrescentou: “Foi uma satisfação estar com essa gente muito bacana, legal. Ribeirão foi melhor, até porque é bem organizado e treina, mas Americana tem condições de evoluir ainda mais para chegar ao título. Eles sabem que disposição e determinação são importantes, mas é necessário maior organização para competir em melhores condições. Acredito que demos um passo importante em 2019. Daqui para frente, é pensar em crescer cada vez mais. Não adianta só se reunir em dia de jogos. Vai ser preciso algo a mais.”

CAMPANHA

Durante a edição 2019 do Campeonato Estadual de Futebol da OAB, Americana  disputou 16 jogos, com oito vitórias, três empates e cinco derrotas, marcando 19 gols e sofrendo 17. O destaque individual ficou para o lateral-direito Vitor de Lião, eleito para a seleção do campeonato.

Na 1ª fase, em turno e returno, os americanenses ganharam de Sumaré (1 a 0), Bragança Paulista (2 a 0) e Piracicaba (2 a 1 e 2 a 0), empataram com Campinas (1 a 1 e 2 a 2) e perderam para Sumaré (0 a 1) e Bragança Paulista (0 a 2).

Nas fases do mata-mata, Americana eliminou Bauru nas oitavas com um empate (1 a 1) e uma vitória (3 a 2); superou Campinas nas quartas com uma derrota (0 a 1) e uma vitória (1 a 0), ficando com a vaga nos pênaltis (4 a 3); e ganhou de Bebedouro nas semifinais com duas vitórias (1 a 0 e 2 a 1). Nas finais, duas derrotas para Ribeirão Preto (0 a 1 e 1 a 4).

O principal artilheiro de Americana no Estadual foi o meio-campista Silas Betti, com 5 gols. Cleiton de Souza e Wellington Teles Coelho marcaram 4 gols cada, enquanto Tiago Turina fez 2. Com 1 gol, Elvis Garcia (Pelé), Rafael Estigaribia, Felipe Reis e Vitor de Lião.

O campeonato teve início em abrul e reuniu 35 times de todo o Estado, num total de 87 cidades, já que diversas equipes são formadas através da junção entre municípios.