O JOGO

Em casa, Unimed tem que reverter quadro para ser tri

Por Zaramelo Jr.

O Jogo | 2015, 23 de abril

Karla e Babi pregam postura diferente na luta pelo título

Karla e Babi querem a Unimed com postura diferente na luta pelo título

Em desvantagem na série melhor de 3, já que perdeu o primeiro jogo por 74 a 67, semana passada, em Recife-PE, a ADCF Unimed precisa da superação para buscar o tricampeonato da Liga Nacional de basquete feminino. O time do técnico Antônio Carlos Vendramini enfrenta o América neste sábado (25), às 10 horas, no Ginásio Mário Antonucci, no complexo do Centro Cívico, sabendo que só a vitória mantem as chances de ser campeão, levando a decisão para segunda-feira (27), às 19 horas, novamente em Americana. Se as pernambucanas ganharem amanhã, festejam o segundo título.

Há consenso entre jogadoras e comissão técnica que a ADCF Unimed não fez grande jogo na capital de Pernambuco e que precisa impor seu basquete para reverter a situação. “Erramos muitas coisas bobas em Recife, como passes e lances livres. Nosso aproveitamento de dois pontos também foi muito ruim. Precisamos melhorar, principalmente nosso emocional”, disse a lateral Karla Costa. Ídolo da torcida, Karla acrescentou que “temos que mudar a atitude, pois time campeão não joga como jogamos lá.”

A ADCF Unimed conta também com o apoio da torcida. Apesar do horário do jogo deste sábado não ser dos mais atrativos, a expectativa é que pelo menos 1,2 mil torcedores estejam no ginásio. “Não jogamos em Recife, mas em casa, com o apoio da nossa torcida, com certeza fazemos fazer uma história diferente”, salientou a armadora Babi Honório, jogadora com maior número de títulos com a camisa da equipe de Americana.