O JOGO

Basquete de Americana veste camisa do Corinthians

Ricardo Molina será o gestor do basquete Corinthians/Americana

Ricardo Molina será o gestor do basquete Corinthians/Americana

Durante uma década e meia, o basquete feminino de Americana caracterizou-se pelas cores verde e branco da Unimed. A partir de agosto – e durante os próximos três anos – o visual será outro. A equipe supercampeã vai vestir a camisa do Corinthians. O anúncio oficial deve ocorrer nos próximos dias, em duas coletivas de imprensa – uma em São Paulo e outra em Americana.

Com a saída da ADCF Unimed da gestão do basquete adulto – o clube vai cuidar das escolinhas e categorias de base -, quem estará à frente da modalidade é a CEO – Clarian Esportes Olímpicos -, presidida pelo executivo Ricardo Molina. O mesmo Molina que comandou a equipe na conquista de 21 títulos em 27 campeonatos disputados nos últimos anos.

Apesar das partes envolvidas não falarem sobre a nova parceria, O JOGO apurou que há pelo menos dois meses Molina vem costurando o acordo da CEO com o Corinthians através do ex-presidente Andrés Sanchez, que continua influente nas principais decisões do clube da capital.

O Corinthians “cederá” o nome à equipe e não vai entrar com dinheiro. Toda a gestão do Corinthians/Americana será de responsabilidade da CEO. O aporte financeiro virá de patrocinadores e parceiros. Empresas como Unimed, VivoSabor Alimentação, Sage, Supermercados Pague Menos e Água Platina devem dar apoio à modalidade.

O Corinthians/Americana mandará seus jogos no Ginásio Mario Antonucci, no complexo poliesportivo do Centro Cívico, no Jardim da Colina. O local já passa por reformas e algumas adequações estão sendo feitas às cores preto e branco – o verde, pela rivalidade histórica com o Palmeiras, passa a ser proibido.

Embora não formalizada em contrato, há a possibilidade da equipe realizar alguns jogos no ginásio do Parque São Jorge, na capital, em casos especiais.

BASE

O Corinthians/Americana terá a base da equipe supercampeã com a camisa da ADCF Unimed. Do time que conquistou o tricampeonato da Liga Nacional, no primeiro semestre deste ano, apenas as laterais Ariadna Felipe e Palmira Marçal não continuam.

Uma das vagas abertas com as saídas de Ariadna e Palmira será preenchida por Izabella Sangalli, atleta revelada nas escolinhas da ADCF Unimed e que na temporada passada jogou por Jaraguá, de Santa Catarina. Ela disputou os Jogos Pan-Americanos de Toronto e está na seleção brasileira que participará da Copa América. Uma lateral estrangeira também deve chegar.

Outras jogadoras confirmadas são as laterais Karla Costa e Patrícia Chuca, as armadoras Babi Honório e Joice Rodrigues e a pivô Gil Justino. Existe a expectativa que as pivôs Clarissa Santos e Damiris Dantas, atualmente na WNBA, retornem para a Liga Nacional.

Na comissão técnica, o único que continua no Corinthians/Americana é o técnico Antônio Carlos Vendramini. O preparador físico deve ser Marcos Strapasson, que trabalhou nas categorias de base da ADCF Unimed e na última edição do NBB – Novo Basquete Brasil – estava no Macaé, do Rio de Janeiro. Pelo menos um assistente técnico, um fisioterapeuta e um atendente devem ser contratados.

Deixam o basquete feminino adulto de Americana o assistente Virgil Lopez, o preparador físico Clóvis Haddad (Vita), a supervisora Adriana Santos, a fisioterapeuta Andrea Formigoni e a atendente Bete Carcavalli.

O primeiro compromisso do Corinthians/Americana será o Campeonato Paulista, possivelmente a partir de setembro. A equipe também tem vaga na fase final do Sul-Americano de Clubes, mas a participação depende de condições financeiras. E a partir de novembro, tem a Liga Nacional.

Zaramelo Jr.

O JOGO | 31 de julho, 2015

Edição de hoje do O JOGO destacou novo time

Edição de hoje do O JOGO destacou novo time