O JOGO

Anderson vai a Floripa para seu maior desafio

Anderson e Guilherme vão disputar o Ironman Brasil, dia 27, em Florianópolis

Anderson e Guilherme vão disputar o Ironman Brasil, dia 27, em Florianópolis

O paratleta Anderson Roberto Duarte, 38 anos, de Americana, está pronto para encarar seu maior desafio no esporte. Deficiente visual desde os 25 anos, ele e o guia Guilherme Rodrigues participam da 18ª edição do Ironman Brasil, que acontece no próximo dia 27, com largada em Jurerê Internacional, em Florianópolis-SC.

Anderson e Guilherme terão pela frente as distâncias Full, ou seja, 3,8 km de natação, 180,2 km de ciclismo e 42,2 km de corrida. A base será no Clube Doze de Agosto (transição e chegada) e a expectativa da dupla americanense é terminar a prova abaixo de 12 horas – o tempo limite de conclusão é de 17 horas.

“Vamos chegar cansados, sem dúvida, mas com a sensação de ter feito o melhor. Treinamos bastante, sempre focados em evoluir a cada dia”, disse Anderson, que encontrou no esporte a válvula de escape para depressão, sedentarismo e obesidade (chegou a pesar 120 kg), além do vício em cigarro e bebida, que tomaram conta de seus dias durante dois anos após a perda da visão.

Clique aqui e veja a versão digital da edição 718 do O Jogo

“Estamos nos preparando há um ano e meio. Fizemos várias provas e treinamos pesado entre 20 e 25 horas por semana. A cada 15 dias de treino, sempre em dois períodos, havia um dia de folga. Agora, entramos na fase de polimento, diminuindo a intensidade”, explicou Guilherme, 28 anos, professor de educação física, que já disputou duas provas de ironman e agora estreará como guia em um dos maiores testes de resistência que os esportistas enfrentam.

“O Anderson não é o primeiro deficiente visual a disputar o ironman, mas se conseguirmos atingir o objetivo de tempo, com certeza ele estará entre as melhores marcas do mundo”, salientou Guilherme, que estará presente em todas as fases do atleta na prova.

Em recente entrevista ao portal UOL, Guilherme Rodrigues explicou que “na natação, temos uma guia amarrada em ambas as coxas, unidas por um elástico de mais ou menos 50 cm e dois velcros colocados próximos às virilhas. No ciclismo, temos uma bike chamada tandem (com dois quadros e dois bancos). Na corrida, usamos a guia tradicional, a cordinha colocada na mão.”

Para viabilizar a participação no Ironman Brasil, Anderson Duarte e Guilherme Rodrigues foram à luta e tiveram apoio de amigos em rifas, ações sociais e vendas de camisetas. A dupla também conseguiu o suporte financeiro de empresas. As principais são Mizuno, Retornopar. Acqualimp, Mixbiju, Etiq Plast e Hardcore.

“É uma forma de agradecimento”, diz Guilherme

Professor de educação física e responsável pelo Grae Team (grupo de corrida), Guilherme Rodrigues vem atuando há um ano e meio como guia do paratleta Anderson Duarte e a parceria será repetida no próximo dia 27, em Florianópolis-SC, no Ironman Brasil.

Para Guilherme, sua atuação como guia de um atleta deficiente visual é uma “forma de agradecimento”. “Quando surgiu essa possibilidade (de ser guia), não pensei duas vezes. É um agradecimento por tudo de bom que tem acontecido comigo, tanto nas questões pessoais como nas profissionais”, disse o professor e técnico.

“Quando participei do meu primeiro ironman, em 2014, muita gente me ajudou. Agora estou apenas retribuindo. Se nos ajudam, por que não podemos ajudar os outros?”, acrescentou.

Guilherme contou que “tenho um irmão com deficiência e aprendi a vida inteira que temos que inserir essas pessoas na sociedade e no esporte, dando a elas a oportunidade de vivenciarem o mundo. Todos nós, de alguma maneira, somos deficientes em algo.”

“No Grae Team, já há algum tempo, abri espaço para alunos com alguma deficiência. E fico muito feliz em ver a evolução de cada um deles”, finalizou Guilherme Rodrigues, que será os “olhos” de Anderson Duarte na 18ª edição do Ironman Brasil.