O JOGO
  • -->

Aluno da FAM usa TCC e é campeão mundial

Castelani, Gubany, Anselmo e Volpi: trabalho na faculdade com reflexo no ringue

Castelani, Gubany, Anselmo e Volpi: trabalho na faculdade com reflexo no ringue

Texto: Alex Ferreira

Sidnei Anselmo, aluno do quarto ano do curso de Educação Física da FAM (Faculdade de Americana) e atleta da equipe Imperium Thai, conquistou em março o título de campeão mundial de muay thai, na Tailândia, berço do esporte. Em agosto do ano passado, na busca por melhorar seu desempenho, Sidnei buscou na disciplina de Bases do Treinamento Esportivo da FAM uma forma de conseguir ajustar seu método de treino. “Tinha dúvidas sobre meu treinamento e conversei com o professor da disciplina, Tiago Volpi, para que, através dos conhecimentos adquiridos em sala, eu pudesse melhorar meu rendimento e assim nasceu o tema do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso)”, disse o aluno.

O trabalho durou oito meses e consistiu em unir o conhecimento científico adquirido da disciplina em sala de aula com os treinos para melhorar o desempenho. Com métodos de monitoramento diário dos treinamentos, o trabalho teve como objetivo conhecer com maior riqueza de detalhes o nível de saúde do atleta e também a variabilidade de frequência cardíaca, indicando os dias de maior nível de cansaço ou recuperação física. A escala de saúde estava dividida em qualidade do sono, dor muscular, nível de estresse, estado de humor e fadiga.

Nos dias que antecederam a competição, os dados apontaram para picos de estresse. Sidnei e equipe direcionaram os treinamentos para este estado físico e psicológico com intuito de evitar quedas do sistema imunológico. “Essa é a teoria mais moderna para a prescrição de treinos. Você prescreve a carga de acordo com o estado do atleta evitando o overtrainning ou um excesso de treinamento”, comentou Volpi.

O professor da FAM lembra que esta será uma publicação acadêmica inédita na área. “A publicação das informações de um atleta campeão mundial de muay thai, com uma periodização monitorada diariamente, é inédito no mundo”, disse. Mas Sidnei não conquistou o título sozinho. Ele contou com a colaboração de um amigo de sala e companheiro de trabalho de conclusão de curso, Luccas Gubany, que, mesmo não entrando no ringue de combate, foi responsável por formalizar todos os dados do atleta. “Fiquei muito feliz com o resultado e também porque pude colaborar mesmo que de longe nesta conquista importante da carreira dele”, disse Gubany.

Para o orientador do trabalho, professor Rafael Castelani,  ainda na faculdade os alunos já conquistam grandes resultados. “Interessante é que o trabalho já vem das disciplinas do curso, apenas coube a mim estruturar todo o trabalho, dar um rigor teórico e científico. Fico feliz que estejam colhendo frutos na vida acadêmica e profissional deles”, afirmou.

Para o aluno campeão mundial, este trabalho mostra o quanto a modalidade pode crescer com estudos científicos para melhorar o rendimento dos atletas. “Foi satisfatório, me senti mais profissional no que estou fazendo. Aqui no Brasil este esporte não é tão valorizado, mas com este trabalho valorizei o muay thai, o esporte e a mim”, concluiu Anselmo.